TEXTOS DE PESCA - As Saimas de Setúbal

Olá a todos,

Muito brevemente poderemos voltar a fazer aquilo que tanto gostamos. 

O mês de Maio é normalmente um mês interessante, porque levanta dificuldades de vária ordem, nomeadamente a questão de termos ainda a água à superfície um pouco fria.

Se durante o dia já estamos muitas vezes acima dos 20ºC, as noites ainda arrefecem, andam na ordem dos 10ºC, e isso não permite ao peixe colonizar as pedras baixas de que tanto gosta.

Esta amplitude térmica gera termoclinas, faixas horizontais de água mais fria e outras mais quentes, e o peixe gosta e precisa de temperaturas constantes. 

As baixas temperaturas obrigam a queimar energia/ calorias que são sempre necessárias para outras coisas, nomeadamente a reprodução. 

As saimas são um dos peixes que está agora a preparar o acasalamento. Fazem-no assim que as águas chegam aos 18º C, em zonas baixas, onde podem garantir mais comida para a sua descendência. 

Para já, ainda é cedo, mas já é possível encontrar exemplares ovados, com pesos entre os 2 e os 3 kgs. 

Os seus parentes sargos comuns desovaram entre Janeiro e Fevereiro, e estão já “despachados” dessa nobre missão, encontrando-se neste momento a recuperar as suas energias, comendo mexilhão, lapas, cracas, perceves, ouriços, etc. Já estão há dois meses em fase de engorda, e vão continuar mais algum tempo, até recuperarem o seu peso máximo. 

Este é o momento em que o peixe se começa a deslocar nas suas migrações ao longo da costa, e também a querer aproximar-se da praia, a fazer a subida para zonas de alimentação mais favoráveis. Mas o processo apenas agora, com tempo primaveril, deu início. Por isso, ainda é muito mais fácil encontrar bons peixes a partir dos 60 metros de fundo. 

Eles vão subir assim que tenham condições para isso, sem dúvida. Fazem-no porque a comida que procuram é muito mais abundante nos baixios que nos fundões. E é sobretudo a comida que faz movimentar as massas de peixe de um lado para o outro. 

As movimentações de água, correntes, aguagem, fazem mover os fundos, e criam oportunidades de alimentação para peixes que procuram vermes arenícolas, pequenos caranguejos, moluscos. 


Vamos esperar por eles. 


Saimas na Comporta, a 24 metros de profundidade.


Vítor Ganchinho



Comentários

  1. Ja ca estou... pode responder relativamente as fotos que postei?

    ResponderEliminar
  2. Bom dia Luís

    Muito obrigado pelo seu contacto. Não tenho a sua pergunta, logo a resposta terá de ser limitada ao que o nosso amigo Carlos Campos me fez chegar. Havia dúvidas relativamente ao que são as saimas, é isso? Respondo-lhe já a seguir e vai ver que a questão é simples.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário