TEXTOS DE PESCA - Destroços de barcos - Os grandes peixes do fundo


Os acidentes acontecem, e por vezes são fatais para as embarcações.

Ficar sem motor a meio de uma tempestade, encalhar contra um rochedo, um contentor, ou mesmo uma palete perdida no oceano, pode originar um acidente e fazer o barco meter água até afundar. O que acontece a esses barcos? Desfazem-se sim, mas quanto tempo levam até que isso aconteça?
E para que servem no fundo do mar? Os peixes fogem deles, ou passam a viver dentro deles?



Tenho um amigo que mergulha em apneia a 50 metros de profundidade. Chama-se Mohamed Fadel Sow, e tem agora  49 anos de idade. Continua a fazer mergulho, e vive concretamente da caça submarina, a sua principal fonte de rendimentos. É ele quem está por detrás da câmara GO-Pro, e quem teve disponibilidade física para fazer este filme. Aquilo que vão ver não está ao alcance de qualquer pessoa, apenas os predestinados conseguem fazê-lo. O meu amigo já era profissional de apanha de conchas, para vender aos turistas, aos…11 anos.  Ainda muito jovem, foi objecto de reportagem de uma conceituada revista de mergulho, a APNEA francesa, já a augurar-lhe um futuro firme nesta difícil especialidade. Vai ao mar diariamente, para garantir o sustento da sua família. 



Os peixes que viram neste curto filme, feito em apneia,  são badejos, com pesos na ordem dos 8 a 10 kgs de peso, alguns pargos e um mero, que está dentro do barco. De reparar que todo o destroço está coberto de redes velhas que, ou afundaram com o barco, ou foram passadas posteriormente por pescadores que tentaram pescar os peixes, e encalharam na estrutura. Na subida são visíveis alguns peixes pelágicos em água livre, os “blue runners”, um carangídeo muito frequente naquelas águas. 



Este é o tipo de pargo que conseguem ver no filme. Estão por cima do destroço, são os primeiros peixes que se avistam quando ele chega ao fundo.

Reparem num detalhe: este vermelho vivo que aqui veem na foto acima, no fundo desaparece, e passa a um “verde pardo” que disfarça o peixe quando visto contra o fundo.

Já aqui vos tinha falado neste pormenor, quando abordámos as cores e vos disse que o vermelho era a primeira cor a desaparecer, por volta dos 10 metros de fundo.


Vítor Ganchinho



Comentários

  1. A única apneia que disponho é a do sono, resta-me sonhar com peixes desse calibre ou que eles nos esperem no "21".
    Boa "malha".
    Abraços.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário