TEXTOS DE PESCA - Uma esmolinha para o Sto. António


Nestes tempos conturbados de COVID-19, e sabendo que os pescadores portugueses estão já a meio caminho para cortar os pulsos, cumpre a quem pode ajudar que o faça. Da minha parte, tento fazer aquilo que me está à mão, escrever, umas vezes com mais outras com menos inspiração, de forma a que o tempo vos passe mais depressa. Tenho procurado dar aos dedos, o melhor que posso.

Hoje trago-vos mais umas “bizarrias” da pesca, para desanuviar este ambiente de recolhimento, que começa a estar pesado. Precisamos de ar puro, de estar no mar e isso só vai acontecer daqui a uns dias. Coragem!

Pescar à boia num aquário!!


O meu inseparável companheiro Pedro Rosa, pescando peixinhos vermelhos num aquário, em Osaka.


Normalmente utilizam-se canas de 5 metros, mas ele desta vez aventurou-se com uma de 0.5 mt, em bambu.


Vítor Ganchinho a pescar num restaurante. A particularidade é esta: quem não pesca não come...


Bom pesqueiro de pargos, e sem ser muito fundo.


Ferrado! Aí está um pargo, que se lançou a um cubo de laranja.


Aí está o animal!



Veja o filme: 


Clique na imagem para ver.



Sushi para todos…..o meu parguinho com soja. O Pedro Rosa perdido de riso.


Caso queiram, posso dar muito mais detalhes, basta que o mencionem na zona de comentários do blog. A história completa é qualquer coisa!....



Vítor Ganchinho




Comentários

  1. Fantástico! Onde fica esse restaurante ? Ahah

    Concerteza, aguardamos pelo resto da história. Parabéns pelo excelente blog!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa tarde Rodrigo Cruz. Eu escrevi um artigo para o Jornal Noticias do Mar sobre este assunto. O conceito de restaurante é absolutamente inovador e a experiência em si é qualquer coisa de inesquecível. Vou recuperar esse assunto, e vou desde já prometer que lhe passo o texto na íntegra, com imagens, na semana que vem. Esteja atento! Abraço, Vitor Ganchinho.

      Eliminar

Enviar um comentário