Carlos Campos - A grande saga - Episódio 1

Se foram capazes de mencionar no Evangelho de Mateus 14: 13-21 que Jesus conseguiu multiplicar 2 peixes que deram para cinco mil pessoas, então o que poderíamos escrever do Carlos pescar robalos às paletes, a ponto de, juntando duas toneladas de batatas, poder alimentar toda a família da vizinha de cima, a D. Domitília? Comparado com o que o Carlos Campos sabe fazer em pesqueiros desertos, sobre explorados, aquela coisa de Cristo multiplicar os peixes é apenas um truque de amador. E depois, treina bastante, tendo desenvolvido uma habilidade nata para ferrar o seu peixe preferido: robalos. 



Na nossa recolha de depoimentos sobre a pessoa em questão, deparámos com este: “ Olhe, eu estava a pescar com uns amigos na Zambujeira do Mar, à noite, ao robalo. Estava com duas canas, uma com tira de choco e a outra com caranguejo de casca mole. Estava a correr um bocado, mas já se sabe isto são luas grandes, faz sempre um bocado de corrente. Nisto, chegou uma comitiva de gente, uns cinco, que se via logo que não eram dali. No meio deles, estava um gajo alto, gordinho, muito mal vestido, com um mau aspecto horrível, que nos parecia ser o chefe. Abriram uma mala comprida, ele esticou os braços e tirou uma cana, enroscou um carreto, e meteu uma amostra Silent Assassin amarela às pintas, da Shimano. Uma das pessoas, com luvas brancas, segurou-lhe o casaco. Nisto, outro dos extraterrestres amochou, quer-se dezer…pôs-se de gatas junto à rebentação. O chefe subiu para as costas dele e olhou fixamente para a água. Esteve assim uns instantes. Passados uns segundos, abriu a alça do carreto, lançou apenas uma vez e enferrou um robalo de 8 kgs. Entregou a cana a um deles, ouviu-se uma explosão tremenda e ele desapareceu numa bola de luz. 
A ideia que me fica é que se eventualmente não se trata de alien, de um ser de outro mundo, pelo menos não é daqui da Zambujeira. Ninguém daqui pesca com aquele modelo de amostra da Shimano, porque não se conseguem comprar em lado nenhum. Onde é que arranjamos amostras da Shimano às bolas?! Aquilo são coisas que eles encontram, mas noutros planetas. Nós já estávamos ali há horas, sem ter uma picada. A malta voltou para casa nas motas e desde essa altura nunca mais lá fomos. Sentimos arreceio”.



Vítor Ganchinho



Comentários

  1. Boa noite, Vitor
    Isto será mesmo coisa do Carlos?? Hummm
    Na Zambujeira, ainda se fosse na marginal......ficava na duvida!
    Abr.
    cs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bom dia Carlos Silva Sabe que da parte do Carlos Campos nada me espanta. Ele é muito capaz de ter amostras da Shimano amarelas às bolas, ...e quanto a desaparecer no meio de uma explosão e de uma bola de fogo, ....é o estilo dele, acho que faz isso a toda a hora.
      Vamos ver como saem os próximos desempenhos, hoje sai outro. De qualquer forma é bom manter sempre uma certa desconfiança, o Carlos é muito capaz de ir pescar à Zambujeira do Mar. Acho que é lá que ele anda a pescar os robalos de metro e meio....os tais que atacam os banhistas.

      Abraço
      Vitor

      Eliminar

Publicar um comentário