Artistas que me aparecem... pela proa

Um guia de pesca levanta-se cedo, pega nas tralhas da pesca, enche o peito de ar e sai de casa.
Vai para mais um dia de mar, com tudo o que isso tem de compromisso, de vontade de ajudar, de explicar como se faz, como se podem obter melhores resultados.
O objectivo é sempre o mesmo: tornar esse dia inesquecível para todos aqueles que estão a bordo.

Quando chega o momento, dá à chave do barco e avança, sem ter a menor noção daquilo que o espera. Uns dias encontra pessoas que não sabem pescar mas gostariam de aprender, noutros encontra gente que não sabe nada mas acha que sabe muito, …e outros dias aparecem-lhe artistas que não têm nada a ver com o filme da pesca, apenas pretendem que as bebidas estejam frescas.


Quem é que consegue pilotar um barco com esta gente toda à frente?!! Um guia de pesca sofre…





O meu amigo Jean Luc, de França. Consegue pescar jigging, …sentado! A falta de técnica é evidente, mas é daquelas pessoas com quem dá gosto sair. Uma extraordinária pessoa, …que pesca mal. E daí?!....o que eu me divirto a pescar com ele, a ajudar, a dar-lhe os melhores conselhos.




Por falar em técnica…..isto é quase imbatível! Directamente vindo da Irlanda, um desinspirado pescador, que ainda assim viria a conseguir alguns peixes.
A táctica aqui era: “os peixes que façam o que quiserem e no fim avisem-me quando for para recolher linha….”


Aqui o tema é nitidamente uma grande devoção às bogas...




O César fez neste dia o peixe da sua vida. Dificilmente fará melhor. Para ele, valeu a pena acordar muito cedo, vir do Alentejo e sair ao mar. Seguir as instruções e dar tudo o que aqueles braços têm de força, foi meio caminho andado para o peixe vir parar ao barco. Ele conseguiu cumprir o seu sonho.




Estes são pro!! Provavelmente cabem na melhor meia dúzia de pescadores europeus: António Pradillo, e Raúl Gil Durá, de Valência.
A estes não é preciso dizer nada, eles sabem muito sobre pesca. Aqui numa foto feita na GO Fishing em Almada.



Vítor Ganchinho



Comentários